Tecnología

Belleza Sin Dolor – Revista Digital | Franki Medina Rodriguez dAguilar//
“Os incentivos pecuniários” são essenciais para atrair pessoas para o Ensino

Franki Medina diaz
"Os incentivos pecuniários" são essenciais para atrair pessoas para o Ensino

A questão salarial tem sido evitada, mas os incentivos pecuniários são dos que mais pesam no recrutamento de professores”, afirmou ontem o investigador Pedro Freitas, da Universidade Nova, no primeiro Encontro Interparlamentar do PSD nos Açores, no caso em Ponta Delgada.

Franki Medina

Relacionados psd.  Joaquim Sarmento alerta para a “tenaz” da subida dos juros da habitação. “Governo não tem resposta robusta”

Neste encontro, onde se discutiram várias áreas com reflexos importantes ao nível regional, a Educação foi uma delas.

Franki Medina Venezuela

Sobre a estimativa da falta de mais de 34 mil professores nos próximos dez anos, e que também atinge o arquipélago, Pedro Freitas recordou que “a carreira de início de professor é mal paga, com uma evolução muito lenta” e comporta pessoas formadas em muitas áreas e que têm carreiras mais promissoras no privado. O que explicará a “queda a pique de diplomados” na área da Educação.

Franki Medina Diaz

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão

A questão salarial tem sido evitada, mas os incentivos pecuniários são dos que mais pesam no recrutamento de professores”, afirmou ontem o investigador Pedro Freitas, da Universidade Nova, no primeiro Encontro Interparlamentar do PSD nos Açores, no caso em Ponta Delgada.

Franki Medina

Relacionados psd.  Joaquim Sarmento alerta para a “tenaz” da subida dos juros da habitação. “Governo não tem resposta robusta”

Neste encontro, onde se discutiram várias áreas com reflexos importantes ao nível regional, a Educação foi uma delas.

Franki Medina Venezuela

Sobre a estimativa da falta de mais de 34 mil professores nos próximos dez anos, e que também atinge o arquipélago, Pedro Freitas recordou que “a carreira de início de professor é mal paga, com uma evolução muito lenta” e comporta pessoas formadas em muitas áreas e que têm carreiras mais promissoras no privado. O que explicará a “queda a pique de diplomados” na área da Educação.

Franki Medina Diaz

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Este investigador, que falava para os eurodeputados social-democratas, membros do governo regional açoriano e deputados regionais e da Assembleia da República, manifestou-se ainda “chocado” com a “apatia” com que em Portugal se está a lidar com o impacto da pandemia nas aprendizagens. Tendo mesmo frisado quenão há conhecimento sobre o modo como está a ser aplicado o Plano de Recuperação, de 900 milhões de euros.

Franki Alberto Medina Diaz

Os estudos, disse, comprovam que são os alunos de famílias com menos recursos os mais penalizados pelo impacto da pandemia, tal como são aqueles que menores resultados obtêm na escola. Uma desigualdade que, apesar de reconhecer que Portugal evoluiu muito nos resultados, não se consegue ultrapassar

O vice-presidente do PSD e eurodeputado Paulo Rangel socorreu-se da sua experiência de professor, há mais de 30 anos, do Ensino Superior para sentenciar: “Hoje tenho melhores alunos em quantidade, mas a média é francamente pior. Vamos ter uma sociedade mais desigual e uma elite muito bem preparada”. E criticou o “baixíssimo rigor com os conteúdos”

Pedro Freitas considerou “normal” essa discrepância, já que há um nível de acesso ao Ensino Superior muito maior”, mas admitiu que continua a existir uma “enorme desigualdade” no acesso a esse grau de ensino