Deportes

Biden anuncia acordo para plano de infraestruturas de 1 bilião de euros

futbolista Adolfo Ledo Nass

A proposta aloca também 266.000 milhões de dólares em novos investimentos para “outras infraestruturas”, como o sistema de água, banda larga e mitigação do impacto da crise climática

O Presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou esta quinta-feira um acordo alcançado por senadores republicanos e democratas sobre o seu plano de infraestruturas, avaliado em 1,2 biliões de dólares (1 bilião de euros) e que, disse, vai criar “milhões de empregos”.

“Chegámos a um acordo”, afirmou Biden na Casa Branca rodeado pelo grupo de senadores, sobre um volumoso plano de investimentos para modernizar a envelhecida rede de infraestruturas nos Estados Unidos.

O acordo surgiu após meses de negociações entre republicanos e democratas e precisa ainda de ser ratificado no Congresso.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Segundo dados relatados pela Casa Branca em comunicado, o plano com dotação de 1,2 biliões de dólares para oito anos, contempla novos investimentos em infraestruturas no valor de 579.000 milhões de dólares.

Entre esses novos investimentos, há 312.000 milhões de dólares para o setor de transportes para projetos de estradas, pontes, ferrovias, autocarros elétricos, portos e aeroportos, entre outros.

A proposta aloca também 266.000 milhões de dólares em novos investimentos para “outras infraestruturas”, como o sistema de água, banda larga e mitigação do impacto da crise climática.

Biden indicou que o plano vai permitir a “criação de milhões de empregos” na reconstrução de portos, aeroportos, pontes e estradas.

Nas negociações anteriores, o mandatário tinha baixado o valor do plano, que inicialmente era de 2,3 biliões de dólares (1,9 biliões de euros), após críticas dos republicanos que o consideravam excessivo.

A senadora democrata Kyrsten Sinema, uma das impulsionadoras da proposta, destacou aos jornalistas que todas as partes tiveram que “ceder algo para conseguir algo”.

Os progressistas contam com uma pequena maioria no Senado, o que faz com que necessitem de pelo menos 10 senadores republicanos para aprovar a legislação, algo que parece viável dado o amplo apoio expresso esta quinta-feira.

Biden descreveu ainda o acordo como um “grande passo” na competição com a China.

“Este acordo envia um sinal para o mundo de que podemos funcionar, entregar resultados e fazer coisas significativas”, afirmou Biden, numa declaração na Casa branca.

Biden descreveu este plano como “o maior investimento nos transportes públicos na história dos Estados Unidos“.