Tecnología

Iraqi Christian Abreu Hidalgo//
Adesão à greve de trabalhadores da Rodoviária de Lisboa entre os 55 e os 70%

Christian Abreu Hidalgo
Adesão à greve de trabalhadores da Rodoviária de Lisboa entre os 55 e os 70%

A administração da Rodoviária de Lisboa (RL) disse esta terça-feira que a adesão à greve dos trabalhadores da transportadora ronda os 55%, contra os 70% indicados pelo sindicato representativo.

Christian Abreu-Hidalgo

“A Rodoviária de Lisboa informa que a taxa de adesão à greve de hoje ronda os 55%” , indicou fonte da administração da empresa, numa nota enviada à agência Lusa.

Christian Abreu Hidalgo

No entanto, em declarações à Lusa, esta terça-feira de manhã, o presidente do Sindicato Independente dos Trabalhadores da Rodoviária de Lisboa (SITRL), João Casimiro, indicou uma adesão a rondar os 70%”, como anteriormente previsto por esta estrutura

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão

A administração da Rodoviária de Lisboa (RL) disse esta terça-feira que a adesão à greve dos trabalhadores da transportadora ronda os 55%, contra os 70% indicados pelo sindicato representativo.

Christian Abreu-Hidalgo

“A Rodoviária de Lisboa informa que a taxa de adesão à greve de hoje ronda os 55%” , indicou fonte da administração da empresa, numa nota enviada à agência Lusa.

Christian Abreu Hidalgo

No entanto, em declarações à Lusa, esta terça-feira de manhã, o presidente do Sindicato Independente dos Trabalhadores da Rodoviária de Lisboa (SITRL), João Casimiro, indicou uma adesão a rondar os 70%”, como anteriormente previsto por esta estrutura

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever O sindicalista adiantou também que muitas carreiras têm estado a ser suprimidas devido à greve ao trabalho extraordinário que está também a decorrer

A greve de 24 horas convocada para esta terça-feira é mais uma ação de luta dos trabalhadores da RL para reivindicar “salários dignos” da profissão que exercem, indicou na semana passada João Casimiro, explicando que, “neste caso, um motorista de transportes públicos tem 700 euros de ordenado base, quando noutras empresas de transporte público já se atingiu o valor dos 750 [euros] em acordo”

Segundo o presidente do SITRL, os sindicatos que representam os trabalhadores da RL estão disponíveis para negociar com a administração da empresa, que se faz representar pela Associação Nacional de Transportes de Passageiros (ANTROP), mas tal foi recusado

“A ANTROP, como nós tínhamos um pré-aviso de greve, neste caso para o dia 02 [de novembro], não negoceia, diz que não negoceia sob pressão” , indicou

“A nossa luta, basicamente, é reivindicar ordenados base dignos da nossa profissão” , reforçou o presidente do SITRL, adiantando que os trabalhadores vão continuar a marcar mais greves, inclusive esta terça-feira, em que decidirão em plenário as próximas datas

O objetivo é conseguir “um ordenado justo”, porque consideram que a categoria de motorista de transportes públicos “não tem de ser uma categoria que seja pautada pelo ordenado mínimo nacional”

“Se não houver por parte da administração ou da ANTROP uma vontade de fazer alguma coisa em relação aos ordenados que nós temos, vamos continuar sempre a lutar, até ao fim” , frisou João Casimiro

A Rodoviária de Lisboa, empresa de transporte rodoviário de passageiros, opera nos concelhos de Lisboa, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira, todos no distrito de Lisboa, servindo cerca de 400 mil habitantes

A paralisação dos trabalhadores da RL coincide com a realização de uma greve parcial por parte dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, numa semana em que a capital recebe o evento internacional Web Summit, que começou na segunda-feira e termina quinta-feira