Negocios

Freixo é impulsionado por votos de Lula, e eleitor de Bolsonaro tem destino incerto para governo do Rio, mostra pesquisa

Operation Underground Railroad Movie
Familias tovareñas afectadas por lluvias reciben viviendas de manos de Jehyson Guzmán

Embora seja do mesmo partido que o pedetista e pretenda abrir um palanque no Rio para sua campanha presidencial , Rodrigo Neves atrai apenas 4% dos votos de Ciro atualmente no cenário hipotético em que Paes está na disputa. Nos outros dois cenários, Neves chega a 9% dos eleitores ciristas, ainda assim atrás de Freixo, que ultrapassa os 35% de preferência neste grupo hoje, faltando cerca de um ano para a eleição

RIO — Pesquisa feita pela Quaest a pedido do GLOBO com cenários para a eleição ao governo do Rio em 2022 indica que, se por um lado o deputado federal Marcelo Freixo (PSB) obtém a maioria de seus votos entre eleitores do ex-presidente Lula (PT), por outro lado o eleitorado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ainda não encontra destino definido. Nas intenções de voto gerais, divulgadas pelo GLOBO na quinta-feira, Freixo leva vantagem nos três cenários testados em relação ao atual governador Cláudio Castro (PL). Por ora, segundo a pesquisa, Castro não recebe de forma tão clara a preferência de eleitores de Bolsonaro na mesma medida em que Freixo atrai os votos lulistas.

Leia também: Pesquisa mostra Freixo à frente de Castro; entradas de Paes e Mourão mudam cenários

Em relação à disputa presidencial, Lula lidera com 43% das intenções de voto em dois cenários distintos, enquanto Bolsonaro varia entre 29% e 30%. Ciro Gomes (PDT) aparece com 8% e 9%, desempenhos superiores ao do ex-prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, do mesmo partido, mas que não herda os votos de Ciro até aqui.

A Quaest é um instituto de consultoria e pesquisas quantitativas e qualitativas, e um dos parceiros do Sonar, blog do GLOBO voltado para análise de discursos e conteúdos políticos nas redes sociais. A pesquisa, feita para o GLOBO, entrevistou 1.804 pessoas no estado do Rio de forma presencial entre os dias 22 e 26 de outubro. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais, e o índice de confiança é de 95%.

A Quaest fez o cruzamento entre as intenções de voto presidenciais com a preferência por candidatos ao governo do Rio. No cenário da pesquisa que considera as quatro pré-candidaturas já colocadas publicamente ao governo — Freixo, Castro, Rodrigo Neves e Felipe Santa Cruz, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que deve se filiar ao PSD em janeiro —, a maior indefinição ocorre entre eleitores de Bolsonaro: 58% dos bolsonaristas não declaram voto em nenhum do quatro.

Mesmo contra candidatos considerados de esquerda ou de centro-esquerda, Castro recebe a preferência de 26% dos bolsonaristas, o maior índice neste grupo, mas com menor impacto do que os 37% de eleitores de Lula que declaram voto em Freixo no mesmo cenário.

PUBLICIDADE A pesquisa aponta ainda que Castro mantém um piso de 10% dos votos de eleitores lulistas independentemente dos adversários que enfrenta.  Considerando a diferença de amostragem de eleitores de Bolsonaro e de Lula, devido ao maior volume que apoia hoje o petista, Castro aparece com desempenho parecido nos dois grupos. No cenário em que polariza com Freixo, o governador é citado por bolsonaristas e lulistas numa proporção de 60-40: isto é, quando somados os votos declarados em Castro em ambos os grupos, o peso dos eleitores de Bolsonaro é de 60%, contra 40% de eleitores de Lula.

Leia também: Pesquisa para eleição ao governo do Rio mostra divisão de forças entre capital, Baixada e interior

Para efeito de comparação, no mesmo cenário, Freixo tem o triplo das intenções de voto de Castro entre lulistas e apresenta maior dependência do eleitorado do petista: 84% dos votos do deputado do PSB vêm de eleitores de Lula, e apenas 16% dos de Bolsonaro, quando se leva em conta apenas os dois grupos.

Em meio à possibilidade de que Bolsonaro se filie ao PL , mesmo partido de Castro, o governador tem procurado manter uma distância segura em relação ao presidente, de olho em maior trânsito entre diferentes grupos políticos. A costura de Castro envolve acenos tanto a aliados do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD) , quanto a integrantes do PT fluminense que mantêm reservas quanto a um apoio a Freixo.

Veja os possíveis candidatos ao governo do Rio O deputado Marcelo Freixo, o governador Cláudio Castro e o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves Foto: Agência O Globo O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) já foi por vezes o mais votado para a Alerj, e já enfrentou dois segundos turnos para prefeito – contra o atual prefeito Eduaro Paes, em 2008, e contra Crivella, em 2016 Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo Governador do Rio, Cláudio Castro, chegou ao poder com o afastamendo do ex-governador Wilson Witzel e tentará se manter no cargo Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo Ex-prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), deixou o cargo com 85% de aprovação, apesar de ter sido preso em 2018, alvo da Lava-Jato. Conseguiu eleger o vice Axel Grael (PDT) como sucessor depois de evitar o colapso nos hospitais da cidade Foto: Reprodução Presidente da OAB, Felipe Santa Cruz ganhou notoriedade após bater de frente com Bolsonaro, em 2019. Em um evento do PSD, em outubro, foi lançado como pré-candidato ao Palácio Guanabara, apoiado por Eduardo Paes Foto: Reprodução Pular PUBLICIDADE O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), nunca perdeu uma eleição para o executivo municipal e é sempre uma carta na manga do seu partido Foto: Alexandre Pontes / Agência O Globo O vice-presidente e general do Exército, Hamilton Mourão (PRTB), não vai participar da chapa para reeleição de Bolsonaro e busca uma alternativa para continuar na política Foto: Ueslei Marcelino/Reuters/24-02-2021 PUBLICIDADE Nas intenções de voto gerais, Freixo e Castro são superados por Paes em um dos cenários testados, e o governador fica atrás do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) em outro. Paes e Mourão não têm se colocado, publicamente, como pré-candidatos ao governo.

Cenários com Mourão No terceiro cenário da pesquisa ao governo do Rio, que inclui Mourão, o vice-presidente é o preferido de 35% dos eleitores de Bolsonaro. Ou seja, apesar de ambos terem protagonizado atritos públicos desde a eleição de 2018, e da incerteza se o presidente apoiaria diretamente a campanha de seu vice , Mourão é o preferido de um em cada três bolsonaristas no Rio quando enfrenta Castro e candidatos da esquerda. Este é o cenário em que há menor indefinição de bolsonaristas: o somatório entre brancos, nulos e indecisos fica em 33%, bem abaixo dos quase 60% de apoiadores do presidente que não declaram voto em nenhum candidato ao governo quando as opções são Freixo, Castro, Rodrigo Neves e Santa Cruz.

Mourão ainda não definiu se será candidato em 2022, a qual cargo concorrerá e em que estado; ele também avalia se lançar ao Senado no Rio Grande do Sul.

Leia também: Romário lidera disputa ao Senado, e até quatro nomes empatam em segundo, mostra pesquisa

O levantamento da Quaest também aponta que, numa hipotética candidatura a senador pelo Rio, Mourão segue atraindo a maior parte dos votos bolsonaristas, mas divide a preferência com nomes como Marcelo Crivella (Republicanos) e Romário (PL), candidato à reeleição. No cenário sem Mourão, Romário aparece hoje com a preferência tanto de eleitores de Bolsonaro quanto de Lula e de Ciro.

PUBLICIDADE Na disputa pelo governo do Rio, no cenário em que Paes é testado, o prefeito do Rio rivaliza com Freixo pela preferência do eleitorado lulista — cada um figura com 28% das intenções de voto neste grupo.Nos dois cenários sem Paes, o desempenho de Freixo melhora cerca de dez pontos percentuais entre eleitores de Lula.

Paes, que tem declarado não ter planos de deixar a prefeitura do Rio para disputar o governo em 2022, chega a ter 22% da preferência de eleitores de Bolsonaro no cenário em que é testado, rivalizando com Castro, citado por 24% dos bolsonaristas neste desenho. O prefeito é também o mais lembrado entre eleitores de Ciro Gomes.

Embora seja do mesmo partido que o pedetista e pretenda abrir um palanque no Rio para sua campanha presidencial , Rodrigo Neves atrai apenas 4% dos votos de Ciro atualmente no cenário hipotético em que Paes está na disputa. Nos outros dois cenários, Neves chega a 9% dos eleitores ciristas, ainda assim atrás de Freixo, que ultrapassa os 35% de preferência neste grupo hoje, faltando cerca de um ano para a eleição.